fbpx

Hard skills versus soft skills

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Quem tem pelo menos um pouco de conhecimento na área de gestão de recursos humanos provavelmente já ouviu falar em Hard skills versus soft skills. São características bastante utilizadas com o objetivo de tentar separar o tipo de habilidade que cada profissional domina com maior facilidade. Assim, é possível realizar de maneira mais assertiva a avaliação de um colaborador.

Com a constante evolução e adaptação do mercado de trabalho, os recrutadores deixaram de ser guiados com base nas hard skills exclusivamente e começaram a dar relevância para as soft skills também.

Entender o conceito dessas expressões é de extrema importância para avaliar a qualificação de um candidato para uma vaga ou até para compreender e mensurar a importância de um colaborador na empresa.

Skills
Soft skills e hard skills

O que são hard skills e soft skills?

Hard skills versus soft skills: traduzida do inglês, a palavra “skills” significa “habilidades”. Dessa maneira, a compreensão de que os dois conceitos falam sobre as aptidões de alguém é intuitiva. Porém, sem que se altere o seu real significado, não há como traduzir os termos de maneira literal. Então, vamos detalhar o que pode ser interpretado dos termos a seguir.

Hard Skills

Como mencionado anteriormente, por muito tempo as hard skills foram a principal fonte de análise de um profissional e isso até é compreensível pois essas são habilidades que podem ser mensuradas de alguma maneira. Por isso são fáceis de se identificar seja pelo conhecimento em um outro idioma ou pela apresentação de diplomas e certificados, por exemplo.

Ou seja, as hard skills nada mais são do que habilidade que podem facilmente aprendidas e ensinadas por meio de cursos, treinamentos, etc. De maneira sucinta, são as aptidões técnicas de um profissional, como:

– Graduação;

– Cursos técnicos;

– Conhecimento em uma língua estrangeira;

– Mestrados/Doutorados/PhD;

– Habilidades ligadas à tecnologia e informática;

– Conhecimentos em operação de máquinas e ferramentas no geral.

Essas geralmente são as informações que constam no currículo de todos os candidatos. Claro que as hard skills mais relevantes dependem do tipo de cargo a ser exercido pelo profissional e das necessidades da empresa.

As hard skills, por serem habilidades técnicas, são analisadas com mais facilidade, porém, nos dias atuais, as soft skills também recebem bastante importância no processo seletivo. Confira!

Soft skills

Ao contrário das hard skills, as soft skills são mais difíceis de notar e quantificar. São habilidades sociocomportamentais atreladas às aptidões mentais e a capacidade de lidar com fatores emocionais de forma positiva que um candidato deve ter.

Elas são mais complicadas de entender pois envolvem mais do que um diploma, abrangendo toda a experiência psicossocial de uma pessoa. Graças às mudanças de paradigma que têm ocorrido dentro das empresas devido à necessidade de uma humanização maior no ambiente de trabalho, as soft skills estão sendo bastante levadas em consideração, dado ao fato de que se percebeu que de nada adianta contar com profissionais com vasto conhecimento, mas que não são capazes de lidar com cargas emocionais, ambientes de pressão ou trabalho colaborativo. Alguns exemplos de soft skills são:

– Comunicação interpessoal;

– Capacidade de persuasão;

– Proatividade;

– Resolução de conflitos;

– Capacidade de trabalhar sob pressão;

– Senso de liderança;

– Capacidade analítica.

Por conta de serem habilidades difíceis de serem comprovadas em primeiro momento, essas competências acabam sendo menos citadas em currículos, exigindo que o grupo de recrutadores aprenda a identifica-las. Um dos exemplos mais comuns que temos como ferramenta para avaliar e observar soft skills são as dinâmicas em grupo.

Por que esses dois tipos de habilidade são importantes para a empresa?

Agora que pudemos analisar e compreender hard skills versus soft skills, é o momento de entender como essas capacidades influenciam durante o processo de recrutamento e seleção de possíveis candidatos. Porém, seu impacto envolve outros aspectos. Vamos citar alguns.

O clima organizacional

O clima organizacional diz respeito à percepção dos colaboradores em relação à empresa. Entre alguns aspectos a serem levados em consideração estão: relacionamento com os colegas de trabalho, incentivos dos líderes, estrutura, condições de trabalho, etc.

Portanto, para manter um clima organizacional agradável, é necessário encontrar um equilíbrio entre os tipos de habilidade.

Se o funcionário não possui as hard skills que seu cargo demanda, por exemplo, pode gerar problemas na operação que causarão danos à organização da empresa. Assim como a falta de soft skills tornará praticamente impossível que o relacionamento entre subordinados e líderes seja saudável, afetando diretamente as condições de trabalho.

Gestão de projetos

Atualmente os modelos operacionais se inclinam cada vez mais para o autogerenciamento de equipes. Essa capacidade de gerir diretamente o andamento de algum processo é tanto de hard como de soft skills. As habilidades técnicas são imprescindíveis para que as tarefas sejam realizadas sem problemas relacionados à operação de softwares ou hardwares. Por outro lado, as habilidades emocionais e interpessoais são necessárias para garantir que a gestão de projetos seja executada de maneira eficiente.

Como o RH pode ajudar a desenvolver essas habilidades?

Tanto as hard skills quanto as soft skills podem ser desenvolvidas. Cabe ao departamento de RH da empresa adotar práticas com o objetivo de construir e fortalecer as aptidões técnicas e sociais. Soluções para o aprimoramento de hard skills podem ser feitas por meio de:

– Palestras educativas;

– Treinamentos corporativos;

– Programas de capacitação;

– Financiamento de cursos e especializações;

– Disponibilização de material de treinamento.

– Técnica SMART

Já no caso da melhoria das soft skills, por se tratar de um conceito mais subjetivo, pode exigir o desenvolvimento de programas de acompanhamento individual. Isso acontece com a finalidade de identificar o que precisa ser trabalhado e focar em sua resolução para cada colaborador. Além disso, é possível promover palestras e workshops focados no aperfeiçoamento de capacidades como comunicação interpessoal, pensamento proativo e senso de liderança.

Como pudemos ver, as hard skills e soft skills são igualmente importantes para um ambiente de trabalho produtivo. Logo, o objetivo é que cada colaborador conte com um equilíbrio ideal entre suas habilidades técnicas e sociais.

E aí, deu para distinguir as diferenças entre hard e soft skills? Conta para a gente!

Que tal receber uma notificação sempre que lançarmos um novo artigo ou atualização? Assine nossa Newsletter agora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter agora
Informe seus dados e entraremos em contato
Ligamos para você
Preencha o formulário abaixo e um de nossos atendentes irá entrar em contato com você.